27/05/2009 - A Eficáia da Quiropraxia no Tratamento da Cervicalgia

              A coluna cervical é um dos mais completos sistemas articulares do corpo humano. Isso também explica a capacidade do pescoço de poder mover mais de 600 vezes por hora.

            A cervicalgia é uma síndrome dolorosa regional que acomete, ou acometerá 55% da população em algum momento. Estima-se que 12% das mulheres e 9% dos homens apresentem cervicalgia crônica. A dor é percebida na região limitada por uma linha traçada na nuca, margens do pescoço e aos arredores do processo espinhoso de T1.

           A dor na região cervical é a segunda causa de consultas em reumatologia e medicina geral, ficando atrás somente de dores na região lombar. Entre a faixa etária de 25 a 29 anos, aproximadamente 25 a 30% da população sofre uma ou mais crises. Após os 45 anos de idade a freqüência da dor cervical eleva a 50%. A prevalência em trabalhadores altera em 16% a 48%. Essas crises duram em média de 1 (um) a 4 (quatro) dias, e geralmente não apresenta alto nível de dor.

           Os transtornos biomecânicos de uma articulação ou de um conjunto de articulações, podem acarretar dor e restrição de movimentos.  Isso pode gerar desordens na biomecânica da coluna cervical, abrindo espaço para doenças degenerativas, osteófitos, radiculopatias, mielopatias e outras alterações.          

           Ainda que haja uma relação direta entre queixas musculoesqueléticas e fatores ocupacionais, estudos demonstram que os casos de dor cervical estão ligados a posturas fixas e prolongadas, curvatura exagerada do tronco, acentuada flexão cervical, ergonomia inadequada e atividades que requerem a utilização do segmento mão-braço. Quando o corpo está na posição sentado, a pressão exercida sob os discos intervertebrais é aproximadamente 40% maior que a exercida em ortostatismo.

            As situações domésticas, a insatisfação com o trabalho e o estresse reforçam as queixas de dor. Além disso, fatores ocupacionais físicos como flexão cervical em torno de 60 a 70% do tempo de trabalho, movimento repetido dos ombros, posição sentada por mais de 95% do tempo, uma alta evidente na carga de atividade física e o excesso de trabalho, foram descritos como fatores de risco aplicados a cervicalgia.

            Estudos demonstram que a quiropraxia é eficaz no tratamento das algias cervicais, com uma melhora significativamente rápida na redução dos sintomas. A quiropraxia age diminuindo a dor e a inflamaçao, aumentando a amplitude de movimento articular, proporcionando uma melhora na qualidade de vida.